quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Reflexões de uma madrugada

Ele viajou pro exterior. Passamos uns bons momentos antes da viagem e tal, mas o dia da partida foi exato, ou ele partia ou eu partia a cara dele.
Ai ele foi e sumiu. Absurdo, não? Antes era o tempo inteiro mandando sms, whatsapp e horas intermináveis no telefone. E do nada, só porque está em outro país, o cara some? Oi?
Ok! Eu estava com preguiça, mas poxa, ele não pode fazer isso.
E não, não é loucura, é coisa de mulher mesmo.
Sabe aquela roupa que você não usa por nada no mundo e continua no seu guarda-roupa? É a sua roupa, c@#*%&8! Um dia vocês foram muitos felizes, ela te deixou um espetáculo e participou da sua vida. Só que hoje ninguém usa mais, saiu de moda ou simplesmente não serve mais. Você não usa, mas também não quer ver ninguém usando. Não quer dar, pensar no bem da humanidade, nem fazer caridade. Você quer a roupa ali e pronto. Tem que estar disponível e fim de papo! Fica esperando o dia que verde musgo volta pro topo das paradas fashionistas ou aguarda perder aqueles 2kg indesejados. Deixa ali, vai que um dia você resolve usar novamente. Vai que um dia...
É no no fundo as mulheres são um pouco "filhos-únicos". Não sabem dividir, emprestar, nem ver o vestido que um dia ela gostou tanto no corpo de outra.

E se ele não me ligar hoje, não precisa aparecer nunca mais!

Um comentário:

Fabiana167 disse...

É aí que vem uma sabedoria que, graças a Deus, aprendi: aceitar que aquele vestido que a gente guarda na esperança de um dia usar de novo, fica realmente melhor em outro corpo. c'est la vie.